Grupo denuncia manobra para facilitar a privatização dos Correios

O grupo "Oposição Nacional Ecetistas em Luta" divulgou nota dando conta da criação da empresa Correios Participações S/A, conhecida como CorreiosPar que, segundo a própria Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), é uma subsidiária de capital 100% dos Correios para administrar empresas controladas criadas em decorrência das permissões estabelecidas no novo Estatuto da estatal e na Lei 12.490/11.

Linha discordante do processo de criação da nova empresa, o grupo acredita que agora há uma larga estrada para a privatização da estadual, que durante muito tempo liderou o ranking de empresa de maior credibilidade junto à opinião pública.

Leia a nota:

"Os Correios publicaram no Diário Oficial da União a escritura pública da Correios Participações S/A, conhecida como CorreiosPar, a subsidiária criada pela direção da empresa no ano passado. É mais um passo dado pela direção da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) no sentido da privatização da empresa.

A CorreiosPar é uma subsidiária integral, ou seja, terá controle acionário exclusivo pela ECT. Isso, no entanto, poderá ser alterado futuramente, podendo ser aberto o capital para outros acionista que não seja a ECT ainda que esta se mantenha como majoritária.

Por aí, não precisa de muito esforço para notar que a CorreiosPar é a continuação da política iniciada com a mudança no estatuto social dos Correios. Em 2011 foi aprovado o novo estatuto dos Correios, transformando o modelo de gestão da empresa conforme as regras das Sociedades Anônimas. Foi essa mudança que permitiu a criação da subsidiária.

Segundo a direção da ECT, a CorreiosPar será responsável pela administração da outras empresas privadas adquiridas pelos Correios como companhia de Transportes aéreos de carga em parceria com a Rio Linhas Aéreas, a administração dos serviços de telefonia virtual móvel (MVNO) em parceria com a empresa italiana Poste Mobile. Além disso, a CorreiosPar será responsável pela instituição financeira que está sendo formada com o Banco do Brasil.

O dinheiro investido pelos Correios para a criação da CorreiosPar será de 300 milhões de reais. Esse dinheiro, oriundo da empresa pública, será usado para a administração dessas empresas privadas. Ou seja, os Correios entram com o dinheiro e as empresas privadas, inclusive estrangeiras, apenas lucram com os serviços que serão oferecidos.

A CorreiosPar é a distribuição do dinheiro público, dinheiro do trabalhador dos Correios, para os empresários. A privatização é exatamente isso".

Já não é de hoje que venho alertando os ouvintes do programa Região em Foco (Rádio Ondas FM 977) sobre o grande interesse de privatização dos Correios. Há, na minha modesta opinião, uma conjunção de fatores que está servindo para justificar a privatização. 

A desestruturação da empresa, a falta de valorização dos servidores e as consecutivas queixas de usuários quanto à impontualidade dos serviços prestados pela ECT constituem a razão para que o povo brasileiro, uma vez insatisfeito, comece a se afeiçoar à ideia de privatização. Exemplos de empresas privadas pelo  mundo e que prestam com excelência os mesmos serviços aqui prestados não faltam.

Essa pedra já está sendo "cantada" há muito!
Grupo denuncia manobra para facilitar a privatização dos Correios Grupo denuncia manobra para facilitar a privatização dos Correios Reviewed by Alessandro Teixeira on 24.2.15 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.