O que dizer do balanço da Fiscalização de Posturas de Cabo Frio?

Recebi em meu e-mail texto disparado pela Comunicação de Cabo Frio com o balanço das ações da Fiscalização de Posturas durante o período de verão e carnaval. O texto traz informações sobre o número de ambulantes cadastrados e autorizados para atuarem nas praias e durante os eventos, bem como o total de mercadorias apreendidas.

Segundo o superintende Wilson Lobato, 1896 produtos comercializados por ambulantes irregulares foram apreendidos e as mercadorias vão de chaveiros a panos de prato, incluindo os populares "paus de selfies” e tapetes.

Lobato explicou ainda que as mercadorias estão sendo liberadas mediante o pagamento da taxa estabelecida de acordo com o material e que para pagar a taxa o dono do material apreendido deve ir à sede da Postura e apresentar a nota fiscal da mercadoria e a notificação entregue pelo fiscal no momento da apreensão.


No período que antecedeu a efervescência da “alta temporada” fiz uma rápida visita ao superintende Wilson Lobato e pude acompanhar boa parte da etapa de credenciamento dos ambulantes. O processo é extremamente transparente, correto e as orientações são repassadas a todo instante. A emissão da documentação e a elaboração dos crachás são – atipicamente – céleres e o cidadão que vai “defender seu ganha-pão” nas praias ou nos eventos recebe um exemplar tratamento. (Boa parte da Prefeitura deveria fazer um curso de atendimento ao cidadão lá na Superintendência de Posturas. Sugestão!)

Naquela ocasião, indaguei o Lobato sobre a destinação das mercadorias apreendidas e ele garantiu que todas ficam guardadas no depósito da Postura durante três meses aguardando a retirada e, caso o material não seja retirado, é doado para instituições de caridade. Ficamos de agendar uma visita ao depósito das mercadorias.

Quero aqui deixar, para a continuidade dos bons serviços prestados pela Fiscalização de Posturas, outra sugestão: por que não apresentar à sociedade um relatório de todo material apreendido, resgatado pelos proprietários, doados para instituições e, claro, o volume financeiro arrecadado decorrente das cobranças da taxa de apreensão? 

Atento às demandas do cidadão e sempre procurando dinamizar os trabalhos da Superintendência, tenho certeza de que Lobato considerará o que por esta oportunidade sugiro.
O que dizer do balanço da Fiscalização de Posturas de Cabo Frio? O que dizer do balanço da Fiscalização de Posturas de Cabo Frio? Reviewed by Alessandro Teixeira on 25.2.15 Rating: 5

2 comentários:

  1. A transparência é a alma da credibilidade.

    Está aí um fiscal que leva o trabalho a sério e que pertence ao quadro efetivo de funcionários municipais de Cabo Frio.

    Sua postura condiz com o que foi relatado no texto.

    Feliz é o prefeito que o tem na frente da linha de batalha.

    Parabéns à Wilson Lobato!

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  2. A transparência é a alma da credibilidade.

    Está aí um fiscal que leva o trabalho a sério e que pertence ao quadro efetivo de funcionários municipais de Cabo Frio.

    Sua postura condiz com o que foi relatado no texto.

    Feliz é o prefeito que o tem na frente da linha de batalha.

    Parabéns à Wilson Lobato!

    Forte abraço!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.