Violência muda rotina da Escola José Bonifácio

Durante esta semana, ao participar do programa Região em Foco, na Rádio Ondas FM, recebemos denúncia de um responsável por aluno matriculado na Escola Municipal José Bonifácio Ferreira Novellino, localizada no bairro Jardim Peró, dando conta da falta de professores.

Em resposta à produção do programa, a Secretaria de Educação informou que “ainda estamos tendo muita dificuldade para colocar professores na Escola Municipal José Bonifácio por causa da violência no bairro. Os profissionais são enviados pela Secretaria, porém retornam, afirmando que não querem trabalhar no local. Hoje (dia 3) mesmo a Secretaria enviou outros professores e continua na expectativa de que esse problema seja resolvido o mais rápido possível”. 

A situação, obviamente, é extremamente delicada e transcende as responsabilidades da Secretara de Educação que, como apurei junto a alguns pais e professores da unidade, tem envidado todos os esforços para solucionar o problema. 

É natural que o profissional de educação, uma vez sem as garantias de sua própria segurança, não queira lecionar na José Bonifácio, o que gera incontáveis prejuízos de natureza intelectual e de formação cidadã. O que esperar do futuro dos alunos dessa escola se já desde cedo têm de conviver com a insegurança e os desdobramentos dela?

No inconsciente coletivo fica a marca da impunidade. Os alunos se veem diante da imposição de criminosos e essa demonstração de força do “poder paralelo” leva a um cenário assustador quando da construção das perspectivas de futuro.

Há bastante tempo tenho falado na Rádio Ondas (programa Região em Foco) e na Jovem TV (programa Radar Público) que segurança pública vai além das estratégias de repressão. A sociedade precisa de mais; precisa de políticas públicas consistentes e capazes de transformar, para melhor, a realidade especialmente das comunidades periféricas. A repressão é a última instância. O Estado usa a força por ter falhado em todas as outras instâncias.

Enquanto nossos governos – municipal e estadual, sendo que sobre este último pesa a responsabilidade da segurança – não lançarem mão de dispositivos para conter as diferenças sociais, continuaremos a ver prosperar o império da criminalidade. 

Lamentavelmente, toda riqueza circulante na cidade não foi bem utilizada no sentido de construir as “pontes” sociais entre o Centro e a periferia. E o preço alto de todo esse descaso está sendo pago com a macabra estatística da violência.

Leio sempre para meus alunos uma frase que trato na memória: “A paz é fruto da justiça”. Há ressalvas, obviamente, ao excerto bíblico, mas é um caminho a seguir.

Violência muda rotina da Escola José Bonifácio Violência muda rotina da Escola José Bonifácio Reviewed by Alessandro Teixeira on 5.3.15 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.