Ativistas fazem petição pela permanência da Secretaria de Cultura

O prefeito Alair Corrêa tem conseguido notoriedade mais pelo que fala do que pelo que faz. E, de forma sintomática, reações de diferentes setores da sociedade cabo-friense tem sido a rotina após “as palestras” que o prefeito faz para a imprensa.


Em recente entrevista, ao anunciar alguns pontos da reforma administrativa que pretende fazer, Alair Corrêa anunciou a extinção da Secretaria de Cultura, que deverá ser substituída por uma Fundação por sugestão do atual ex-secretário de Cultura, José Facury.

A medida foi imediatamente rechaçada por ativistas culturais, que fizeram uma petição eletrônica para atrair a atenção do cidadão cabo-friense e chamar a atenção das autoridades públicas, entre elas o prefeito e os vereadores de Cabo Frio, para a manutenção da Secretaria. 

Carlos Ernesto, o Carlão, um dos líderes do movimento pró-Secretaria de Cultura, diz que “o que está em questão é o exercício de nossa autonomia. Não podemos aceitar sermos feitos de fantoches, marionetes, alvo de habilidosa capacidade de manipulação que até nos ‘encanta’”. E acrescenta: “não estamos num palco. A cultura da cidade não é um teatro. A habilidade do ‘bonequeiro’ não pode nos tornar objeto de seu enganoso sucesso como gestor”.

A petição eletrônica pela permanência e manutenção da Secretaria de Cultura de Cabo Frio pode ser acessada clicando aqui

- Dizer sim a Secretaria é garantir o ponto em que retomaremos nosso direito de escolha, nossa condição de seres pensantes! Nunca se chega a um lugar certo andando de forma errada. Se a fundação é um melhor caminho para a cultura da cidade (o que não acreditamos e que tão pouco foi ou é um anseio da classe), deve ser uma conclusão dos artistas através de mecanismo participativo e respeitando a história construída, finaliza Carlos Ernesto.

COMENTÁRIO

Retrocesso não merece comentários!


Ativistas fazem petição pela permanência da Secretaria de Cultura Ativistas fazem petição pela permanência da Secretaria de Cultura Reviewed by Alessandro Teixeira on 21.4.15 Rating: 5

5 comentários:

  1. O governo de Marquinho Mendes, em 2009, realizou um Fórum de Cultura, com a participação de vários artistas da cidade. Lá foi tirada como proposta geral a criação de uma Fundação de Cultura.
    Quem minimamente entende, pesquisa e milita cultura, sabe que Fundação não é retrocesso! Vocês precisam estudar mais.
    Isso tudo me cheira a conspiração sem fundamento, triste de ver.

    ResponderExcluir
  2. O governo de Marquinho Mendes, em 2009, realizou um Fórum de Cultura, com a participação de vários artistas da cidade. Lá foi tirada como proposta geral a criação de uma Fundação de Cultura.
    Quem minimamente entende, pesquisa e milita cultura, sabe que Fundação não é retrocesso! Vocês precisam estudar mais.
    Isso tudo me cheira a conspiração sem fundamento, triste de ver.

    ResponderExcluir
  3. Sr. ou Sra. "Anônimo", a falta de diálogo é retrocesso. Se, por outro lado, no Fórum de Cultura, realizado no governo passado foi tomada uma decisão em relação à criação de uma Fundação, fico com a proeminente sensação de que o atual governo está se valendo de uma "crise" para justificar os meios pelos quais toma determinadas decisões. A propósito, o chefe desse governo foi quem disse que a sugestão de transformar a Secretaria de Cultura em Fundação partiu do atual ex-secretário. Isso é que me cheira conspiração sem fundamento. Triste de ver!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que retórica torta e tosca esta tua.

    Quem sugeriu a fundação não foi ex ou atual secretário, mas quem esteve presente no fórum, ou seja, a sociedade civil. E fóruns são órgãos consultivos, logo, o governo acata suas decisões se assim o quiser, o que não foi o caso em 2009, época que, então, você mesmo fazia parte do governo.
    Vamos estudar?

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que retórica torta e tosca esta tua.

    Quem sugeriu a fundação não foi ex ou atual secretário, mas quem esteve presente no fórum, ou seja, a sociedade civil. E fóruns são órgãos consultivos, logo, o governo acata suas decisões se assim o quiser, o que não foi o caso em 2009, época que, então, você mesmo fazia parte do governo.
    Vamos estudar?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.