Mesmo com recurso específico, alguns professores ficam sem salário

O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE), encaminhou mais um ofício à Prefeitura de Cabo Frio solicitando audiência, em caráter de urgência, para que sejam prestados esclarecimentos, pelo prefeito Alair Corrêa, sobre a falta de pagamento de parte dos professores concursados.

De acordo com a coordenadora geral do SEPE, Denise Teixeira, a Prefeitura precisa “esclarecer os critérios usados para a diferenciação dos valores dos vencimentos, bem como a alteração da data do pagamento dos servidores”.

Segundo a coordenadora do Sindicato, vários profissionais procuraram o SEPE para denunciar que não receberam o pagamento na data prevista e que, ao procurarem o departamento de Recursos Humanos da Prefeitura, os mesmos foram orientados a procurar a Secretaria de Educação, que também não soube explicar o motivo da falta de pagamento.

Denise Teixeira alerta, no entanto, para o fato de que, uma vez constatada a falta do depósito do salário dos servidores, o erro só poderá ser reparado em folha suplementar, que deve ser liberada apenas no dia 10 de abril.

“Isso é um absurdo, uma falta de respeito com o servidor!”, declarou Denise.

COMENTÁRIO

A pasta de Educação tem recurso específico oriundo do FUNDEB. Nada justifica, nem mesmo a “crise”, a falta de pagamento dos professores. Aliás, equívocos dessa natureza já foram registrados em anos anteriores, quando não havia a sombra do “escasseamento” financeiro, o que deixa latente uma deficiência de gestão.


Mesmo com recurso específico, alguns professores ficam sem salário Mesmo com recurso específico, alguns professores ficam sem salário Reviewed by Alessandro Teixeira on 2.4.15 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.