Disputa pelo controle do SEPE vira caso de polícia

Os ânimos andam acirrados entre militantes das chapas que concorrem às eleições para a direção do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE) e os embates, que deveriam ficar apenas no campo das ideias, virou caso de polícia depois que a diretora geral do Sindicato, Denise Teixeira, registrou Boletim de Ocorrência em desfavor de um integrante de chapa concorrente.

Denise Teixeira, que é candidata à reeleição, publicou texto nas redes sociais afirmando que foi “surpreendida por um membro da comissão eleitoral da chapa adversária, que já chegou alterado” e a “agrediu verbalmente”. Denise relata ainda ameaças de agressão e lamenta: “é inadmissível que dentro de um sindicato combativo tenhamos atitudes covardes e machistas como essa”.


Já a professora Monica Almeida, integrante de chapa de oposição à Denise Teixeira, diz que “infelizmente a direção majoritária do núcleo (...) está restringindo informações à minoria da representação da comissão eleitoral local, visto que nega o acesso à lista de filiados do núcleo, além de alterar membros da comissão eleitoral eleita em assembleia sem mesmo ter ocorrido ainda nenhuma reunião de comissão eleitoral local”.

Quanto à agressão denunciada por Denise Teixeira e registrada na 126ª Delegacia (no Núcleo de Atendimento à Mulher), Monica Almeida diz que ela e a chapa por ela representada rejeitam “as acusações infundadas, já que não existiram agressões físicas e os ânimos foram exaltados a partir dos reiterados pedidos de realização de reuniões da comissão eleitoral que não foram respondidos e repudiamos a atitude alheia à classe trabalhadora de se utilizar dos órgãos repressivos da burguesia, como a denúncia protocolada na Polícia Militar, para tentar incriminar um companheiro da categoria que pretende estabelecer uma disputa no campo do movimento confrontando diferentes ideias”.

Rebatendo, Denise Teixeira diz que “em um processo democrático, o debate tem que ser de ideias, nunca querendo impor nosso posicionamento de forma autoritária, repressora e machista. Prestei queixa, pois com os meus valores morais não poderia ter outra postura”.

Registrado sob o número 956-00813/2015, o Boletim de Ocorrências deverá seguir o curso normal de apuração dos fatos.

Disputa pelo controle do SEPE vira caso de polícia Disputa pelo controle do SEPE vira caso de polícia Reviewed by Alessandro Teixeira on 27.5.15 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.