NOVO COLUNISTA | O “pão e circo” para o povo de Cabo Frio

Passado o oba-oba, das notícias relacionadas à diminuição da arrecadação, digo, da diminuição do repasse dos famosos royalties do petróleo, que nossa cidade tem direito de receber a cada trimestre e, diga-se de passagem, é uma boa "grana", decidi manifestar a minha indignação sobre uma atitude do nosso nobre gestor, administrador, condutor ou qualquer outro adjetivo que os nossos não menos nobres leitores queiram dar ao prefeito da cidade de Cabo Frio.

Com essa diminuição do repasse e, consequentemente, dispensas dos seus funcionários, a cidade tem vivido com grandes dificuldades, onde o comércio menos aquecido financeiramente tem sofrido na "carne" a falta de dinheiro circulando em nosso município.

Com o quadro caótico pintado acima, onde a falta de dinheiro para investimentos na área da saúde, educação, transporte e segurança pública é noticiada pela mídia cabo-friense, a reinauguração do luxuoso e portentoso parque aquático do nosso queridíssimo prefeito. Isso mesmo! O parque é daquele que propaga pelos quatro cantos da cidade de Cabo Frio que não tem dinheiro para nada, mesmo tendo em 2013 contraído um empréstimo junto ao Banco do Brasil do montante de cem milhões de reais, dando como garantia os repasses dos royalties de petróleo até dezembro de 2016.

Estranho, não é mesmo?

Que ele não tem responsabilidade com a população nativa todos sabemos, mesmo que alguns apadrinhados ainda tentem defender os seus rompantes, o que consideram aceitável. Porém, ostentar esse empreendimento e ainda bancar de grande empreendedor já é demais. 

Para uma população que tem sofrido e muito com todas as ações que vem deixando nossa cidade um verdadeiro caos e sitiada pelos altos índices de assalto e violência, e que não vislumbra nenhuma oportunidade aos nossos jovens, que a cada dia são jogados para os braços dos traficantes que, de uma forma ilícita, realizam os sonhos de consumo dessa parcela da sociedade que não se vê amparada pelo poder público de nosso município, o que vemos chega a ser desrespeitoso.

A quem podemos recorrer para que essas ações - que são no mínimo comparadas ao pior ditador que o mundo tenha tido notíias - não possam acontecer mais em um município que um dia já foi referência de dignidade, limpeza, austeridade e acima de tudo referência como um povo que zelava pela sua cidade, pois sabia que com o turismo poderia ganhar o seu pão de cada dia?

Que seja feita a vontade do senhor, nobre ditador da "República Municipalista de Cabo Frio", onde, parafraseando o não menos ditador Cezar "dê pão e circo para o povo". No nosso caso, "dê parque aquático aos mais abastados cidadãos de nosso município e turistas de qualidade e pão, amassado e duro, à população nativa".

MARCO ANTONIO DA SILVA, estudante de Direito na Universidade Estácio de Sá.

COMENTÁRIO

Seja bem-vindo, meu bom amigo Marcão Silva, a esse humilde espaço de reflexão sobre os acontecimentos e fenômenos de nossa Cabo Frio. Este é um espaço para todas as manifestações e, claro, sua opinião é "bem chegada" exatamente pelo alcance de sua abordagem e a forma como aplica seu olhar à leitura de nossa rotina cidadã.

Estamos juntos. E isso não se atém à forma da gíria aplicada à expressão. Estamos juntos mesmo.
NOVO COLUNISTA | O “pão e circo” para o povo de Cabo Frio NOVO COLUNISTA | O “pão e circo” para o povo de Cabo Frio Reviewed by Alessandro Teixeira on 30.6.15 Rating: 5

2 comentários:

  1. Pra que oferecer uma Disney? O " empreendedor " faz o ' empreendimento " que o povo pede e gosta. Povo de Cabo Frio está acostumado com pão e circo. Povo não sabe se comportar, quem dirá votar. Se contentam com pouco e 0800.
    O importante é investir na saúde, educação, cultura precisa não. Todo mundo " culto. "Cultua" a vida dos outros. Transporte precisa não. Um subsídio engana que eu gosto( eu não grande parte.....) resolve É só colocar umas rodas em postes e escrever o nome da empresa, dá um cartão de plástico e falar que é a " passagem mais barata do Brasil", que povinho acredita e fica feliz. Caladinhos. Medinho que se pela da empresa de ônibus. Cabo Frio deve ser, ser não é. O único lugar no território brasileiro que elogia empresa de ônibus - coitados - inocentes, sabe nada.

    A saúde de Cabo Frio é de primeiro mundo. O primeiro mundo que não tinha nada e claro! Só os dinossauros. Hoje ainda tem um. É só procurar.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente não há mais túnel no fim da pouquíssima luz, todos sofrem. Sei que não é alentador mais o que vivemos não é novo, e vai piorar muito ainda!!!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.