OPINIÃO | O velho jogo de cartas marcadas

O prefeito Alair Corrêa, em pronunciamento pelas redes sociais, reafirmou sua intenção de disputar a reeleição em 2016. Disse também que todos do seu "grupo" estão liberados para buscar "projetos solos" e concorrerem também à prefeitura. 

Todo ano é a mesma coisa na cidade. Independente de que lado político está o pretenso candidato, sempre surgem várias candidaturas prematuras que não chegam ao final do processo. São factoides lançados para buscar uma melhor negociação pouco republicana lá na frente. Nunca há discussão de projetos para a cidade, apenas negociação de cargos, benesses e vantagens pessoais ou de grupos.

Em 2012 teve um candidato que disse categoricamente na mídia local que "só Deus impediria sua candidatura". A candidatura não foi à frente e Deus não impediu nada. O que impediu foi o de sempre: negócios de cargos e privilégios. Seria cômico se não fosse trágico!

A análise de que estas candidaturas são para dividir a "oposição" é velha e requentada, até porque os pretensos candidatos do grupo alairzista têm uma relação muita próxima com o "alcaide". Logo, se tirar votos, tira do próprio grupo. 

Outra questão é saber de que oposição estamos tratando. O grupo ligado à dupla de neo-aliados Marquinhos e Jânio já mostrou que é oposição apenas pessoal a Alair, não pretendendo fazer nenhuma mudança no modelo de gestão que infelicita a cidade há 20 anos. São financiados pelos mesmos grupos empresariais que dominam a cidade "por debaixo dos panos”!

São nomes que querem vestir uma capa de "cara nova", mas estão atrelados "até os ovos" com as estruturas de poder dominante na cidade. São ora aliados e ora adversários, de acordo com seus interesses pessoais ou de grupos. Só se engana quem quer!

Quer queiram ou não e independente do "tamanho político" a única oposição de fato na cidade é a exercida pelo PSOL, já demonstrada de forma clara nas campanhas de 2008 e 2012, cuja proposta rompe com a atual forma de gerir a cidade e não é financiado por estes grupos empresariais. Em 2016 estaremos de volta à luta política reafirmando esta posição. O partido terá candidatura própria e independente na eleição municipal.

Só a luta muda a vida! 

CLÁUDIO LEITÃO, economista. Mais textos podem ser lidos no blog Cidadania e Socialismo.
OPINIÃO | O velho jogo de cartas marcadas OPINIÃO | O velho jogo de cartas marcadas Reviewed by Alessandro Teixeira on 30.7.15 Rating: 5

Um comentário:

  1. Comecemos os encontros e reuniões, é extremamente necessária a mudança do modelo praticado na cidade e região o movimento já deveria ter avançado, eles não podem a todo o tempo ter e certeza que a cidade é deles. Chega a população não aquenta mais! Vamos pelo menos tentar mudar a ótica da cidade que precisa de investimento para oferecer emprego e renda, é muita miséria para uma cidade que movimenta bilhões por meio da prefeitura!! Isso tem que mudar!!!!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.