ANÁLISE | Para acabar com a dependência dos royalties é preciso investir no turismo

A constatação parte do empresário e ex-secretário de Turismo de Cabo Frio, Dirlei Pereira (DEM), analisar documento divulgado pelo presidente da Associação de Hotéis e Turismo de Cabo Frio e do Sindicato dos Empresários de Hotéis e Restaurantes (SEHR), Carlos Cunha, que lamentou a extinção da secretaria de Turismo e a paralisação das atividades do Conselho Municipal de Turismo. 

Para Cunha, Cabo Frio caminha na contramão do modelo econômico praticado por municípios que precisam buscar alternativas para contornar os efeitos da crise provocada pela desvalorização do preço do barril do petróleo.

Dirlei Pereira, que comandou a secretaria de Turismo durante oito meses, disse que “a carta aberta emitida pelo presidente da Associação de Hotéis é um legítimo atestado de reconhecimento da boa gestão que empreendemos na secretaria de Turismo”. 

TURISMO | Dirlei Pereira diz que não dá mais para viver sujeito ao humor dos sheiks árabes

- Pela primeira vez em 20 anos, o empresariado do trade foi convocado a participar da formulação da política municipal de Turismo. Foram seis meses de uma harmoniosa sintonia entre gestores públicos e privados. A gestão pública moderna impõe a participação de todos e, no caso da nossa cidade, especialmente daqueles que vivem o dia a dia de uma sazonalidade cruel, que inviabiliza qualquer tipo de planejamento de médio e longo prazos. Entra ano, sai ano e a história continua a mesma: dois meses de relativa fartura contra dez longos meses de vacas magras, comentou Dirlei Pereira.

Para o secretário, “a gestão de Turismo, bruscamente interrompida, criou os sólidos alicerces para o rompimento dessa lógica, com a construção de um turismo verdadeiramente de qualidade que gere emprego, renda, riqueza e oportunidades para todos”. 

- Somente com um turismo forte poderemos por fim a esse nefasto ciclo econômico marcado pela óleo-dependência, que agora se exaure com a decadência dos royalties do petróleo. Não dá mais para viver sujeito ao humor dos sheiks árabes do petróleo, com a exuberante natureza e a riqueza histórico-cultural que temos. É chegada a hora de darmos um definitivo basta a essa lógica perversa que nos foi imposta. Turismo de qualidade, já!, finalizou Pereira, que encaminhou ainda uma lista com as principais ações implementadas entre maio e dezembro de 2015.

Ações da secretaria de Turismo em 2015

1. Fortalecimento das relações com o Ministério do Turismo, com a Secretaria de Estado de Turismo e com o trade turístico local;

2. Implantação da meritocracia como modelo de gestão. Todos os segmentos organizados foram convocados a contribuir, não importando o vínculo político ou partidário de seus líderes;

3. Elevação de Cabo Frio à categoria “A” no Mapa Turístico Brasileiro, passando a figurar entre os 24 principais destinos turísticos do Brasil (exceto as Capitais);

4. Transatlânticos (34 na atual temporada contra 7 na anterior, um salto de mais de 300%);

5. Transformação de Cabo Frio em sede de Celebração da Tocha Olímpica, evento que terá bilhões de telespectadores em todo o mundo;

6. Extinção da taxa de City Tour cobrada às agências de viagens das cidades vizinhas, antiga e justa reivindicação dos donos de restaurantes e lojas de modo geral;

7. Qualificação: 

7.1. PRONATEC - Curso de Organizador de Eventos e Garçom em parceria com o Ministério do Turismo e o SENAC;

7.2. Curso de Higiene Alimentar para quiosqueiros e ambulantes em parceria com Instituto Federal Fluminense e a Superintendência de Fiscalização e Posturas de Cabo Frio; 

8. Recepção de 120 jornalistas especializados em Turismo da Abrajet, gerando até hoje mídia espontânea no Brasil e na América do Sul;

9. Efetiva participação em ações como os projetos Lidera Rio Turismo e Rio Serra Mar, ambos do SEBRAE;

10. Atualização do Inventário da Oferta Turística, instalado em 12 de janeiro, realização da Secretaria de Turismo do Estado, Universidades Federal Fluminense (UFF) e Veiga de Almeida, através do Programa PRODETUR, com recursos do Banco Interamericano; 

11. Instalação de placas de sinalização de valorização histórica no Forte São Mateus, no bairro Passagem e na entrada da cidade;

12. Projeto obrigando a todas as excursões e City Tour da cidade a terem um Guia de Turismo local a bordo (em tramitação na Câmara Municipal);

13. Regulamentação do Terminal de Barcos de Passeio;

14. Reativação do Conselho Municipal de Turismo, com composição já definida, restando tão somente a publicação do Decreto pelo prefeito, uma das principais reivindicações dos últimos anos da parte da sociedade via entidades representativas do empresariado;

15. Fórum Cabo Frio+. O diálogo propositivo não se restringiu apenas aos segmentos especializados, ampliando de modo inédito a discussão a respeito dos problemas e soluções para a cidade como um todo. Foram sete edições do fórum, em Cabo Frio e Tamoios, com temáticas importantes como acessibilidade, segurança, poluição sonora, qualificação/geração de empregos e turismo histórico (em parceria com a Universidade Estácio de Sá).

COMENTÁRIO

Assim que o prefeito Alair Corrêa divulgou a reforma no secretariado já com a extinção da secretaria de Turismo, fui célere ao afirmar que a consequente exoneração de Dirlei Pereira representava - e representa - um dos mais duros golpes na estrutura administrativa de Cabo Frio, município que se pretende turístico e que não se comporta como tal. 

Dirlei, no pouco tempo em que ficou à frente da pasta, estabeleceu um novo conceito, implementando ações inéditas no sentido da viabilização da economia pelo Turismo. Assim, penso que não seria demais desejar que o prefeito reveja a decisão da extinção especificamente desta secretaria, que em 2015 começou a devolver ao município o status que sempre mereceu ter.

ANÁLISE | Para acabar com a dependência dos royalties é preciso investir no turismo ANÁLISE | Para acabar com a dependência dos royalties é preciso investir no turismo Reviewed by Alessandro Teixeira on 3.2.16 Rating: 5

3 comentários:

  1. Tô nem aí, tô nem aí......

    ResponderExcluir
  2. Prefiro não comentar. De acordo com a época narrada....eu não morava na cidade, portanto, eu não vou comentar nem com delação fantasiosa. Eu não vi nada! Não sei de nada! Estou seguindo a orientação da minha advogada Alice: so falo em juizo!

    ResponderExcluir
  3. Seria interessante que este espaço fosse usado sem cortes, podendo tambem criticar, pois a critica feita ao ex-secretario de turismo Dirlei Preira (que só tem verdades) foi retirada apos alguns dias e as outras ficaram, que não dizem nada. Caso não tenha nada com o governo ou com este ex-secretario de saude, de governo, de turismo e ex-chefe de gabinete, seria legal que publicasse os comentarios, mesmo contra. Obrigado.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.